27.1.07

Pintei o céu ...

Pintei o céu com o perfume das rosas e dei um toque de esperança ao passado moribundo que teima em manter-se presente e imponente, mesmo tendo tomado um sentido vago e vazio ... gasto de tanto persistir e de nada conseguir ... ... ou ... ... será que somos nós que não o abandonamos? Agarramo-nos ao que já não tem significado só porque temos medo de prosseguir e viver novas experiências.

Acomodamo-nos num espaço que não é o nosso e ficamos por lá infelizes e perdidos, à procura de não sei o quê ... quando, na verdade, deviamos estar à procura de quem somos realmente e de tentar, a todo o custo, viver e realizar os sonhos que tanto nos fazem sorrir!

23.1.07

Momentos na vida ...

... momentos em que o que mais nos apetece é arrancar essa pessoa dos nossos sonhos e abraçá-la com toda a força ... a força do carinho e da amizade, que é suave e terna. Dizer "amo-te" ou simplesmente "gosto de ti" "tive saudades de ti" ...

Quantas e quantas vezes deixamos de expressar o que sentimos? Quantas vezes nos coibimos de dar um carinho físico só porque achamos que vamos ser mal interpretados ou repudiados? Porquê?...

14.1.07

Palavras ...


... por vezes dizem tanto e outras tão pouco ...

Palavras belas sopradas ao vento como brisas de alento.
Palavras como pingas de cristal tão raras como pérolas negras.
Palavras usadas em vão como um vazio imenso.

... tudo depende de como são ditas ... de quem as diz e das suas intenções ...

Há quem diga "amo-te" tão facilmente como quem diz "vou tomar café". Usam os sentimentos que as palavras identificam, para satisfazer caprichos e brincar com os outros ... como se tudo na vida fosse um jogo.

Afortunado é aquele que conhece o significado de cada palavra, mas que principalmente conhece o significado de cada sentimento e do valor humano de cada um de nós ... elas são verdadeiras pingas de cristal!

9.1.07

O Sorriso ...

...
Não custa nada e produz muito.
Enriquece quem o recebe sem empobrecer quem o dá.
Só dura um instante, mas a sua recordação é por vezes inesquecível.
É um verdadeiro antidoto que a natureza guarda sem reserva, para todos.
Se lhe recusam um sorriso que merece, dê o seu.
Com efeito, ninguém tem maior necessidade de um sorriso que aquele que não o sabe dar aos outros.

Extraído de um poema gravado numa pedra de um Mosteiro da Alsácia.

7.1.07

Reflexos da Mente

A caminho de casa passo por umas vivendas já com alguns anos de existência. É uma zona pacata e numa dessas casas habita um rapaz que calculo que tenha deficiência mental … não sei precisar se será esse o problema. O seu corpo evoluiu de acordo com a idade, mas a sua expressão facial e atitudes não são idênticas às dos seres mais comuns.

O seu passatempo é acenar a quem passa de carro … penso que o mínimo que podemos fazer é responder. Não custa nada e ele fica feliz. No entanto, dou comigo a pensar o que será dele quando os pais já não tiverem força para o ajudar ou quando falecerem … por certo terá duas hipóteses - ficar a cargo de familiares ou a cargo da Segurança Social que o encaminhará para uma Casa da Misericórdia ou para um Lar. Em qualquer um dos casos a sua realidade será quebrada. Tudo aquilo que faz parte do seu mundo, desaparecerá. Será que irá ter capacidade para compreender o que aconteceu?

Por trás da rua dos meus Pais existe outro rapaz, que conheço desde que me entendo por gente. O seu corpo também evoluiu, embora com alguma deficiência nos membros inferiores, pois o seu cérebro não lhe permite controlar totalmente os movimentos.

Durante muitos anos também ficava a ver os carros que passavam e a sorrir com as pessoas que andavam por ali e o conheciam desde criança. Mas, as dificuldades monetárias aumentaram e os pais deixaram de ter capacidade para gerir a casa com, apenas, um ordenado. Ambos tiveram que trabalhar e apelaram ajuda à Santa Casa da Misericórdia de S. Pedro. O seu pedido foi respondido e todos os dias a carrinha vem buscar o rapaz, trazendo-o novamente ao final do dia. Saio cedo para o trabalho e são muitas as vezes que passo pela carrinha ou tenho mesmo de esperar que ela arranque para poder continuar o meu caminho.

A realidade deste rapaz já é um pouco mais ampla do que a do outro jovem que gosta de acenar a quem passa. Ela já está habituado a conviver com outras pessoas fora do seio familiar. Um dia terá, apenas, de se habituar a passar a noite nessa casa e na companhia dessas pessoas. Irá ser fácil? Penso que não, pois cada final de dia esperará pelo regresso a casa e ao abraço terno dos pais, mas … isso não acontecerá … até que tudo se torna rotina e o passado desvanece. Pelo menos queremos acreditar que é assim.

Era óptimo que a ciência conseguisse detectar a mínima deficiência ou alteração genética … só que muitas doenças só se revelam ou surgem depois de alguns meses ou anos de vida. Também não se podem pôr de parte os acidentes de viação que causam danos cerebrais e físicos irreversíveis.

Eternos amantes ... Eternos rivais

Eternos amantes
Eternos rivais
O amor os une
O amor os separa
e não ampara a vertigem
a distância que habita terras e montes
aparta suas colinas
e afasta as suas pontes

Esplendorosa e luminescente
Coroada de brancura
e jardins de ternura
azul de luxuria
Com o rio a seus pés
mal deixa um vislumbre
da euforia da outra margem
do outro lado ... gente
formigas ao longe
Ela bela e imperiosa
de braços abertos para a vida
ostenta sem medo
tesouros sem fim
que repousam no frenesim
nada teme
nem os homens do leme

Sombrio e misterioso
encerra em si luxuria contida
Discreto
fervilha de vida
Sangue na guelra
Força de dragão
ergue fortalezas de montes e vales
rio estreito, quase impenetrável
teme apenas a tomada dos vikings
hábeis sorrateiros
que atacam no nevoeiro
é aí que tomado de surpresa
mostra toda a sua beleza
esplendor de cultura
que perdura
e não se esvaí no turbilhão do dia-a-dia

Ela com espaço para o conter
e Ele querendo ser contido
porque não resolver
esta guerra sem sentido?!

1.1.07

Seres Interiores


Nas tuas linhas me fundo e visito os seres do teu eu mais profundo.