29.8.07

Afirmação do Eu

Eu sou quem sou
E ninguém mais,
Porque sou
Aquilo que sou
E nada mais.

As pessoas dizem
Que não devo ser
Aquilo que sou.
Mas eu sou quem sou
E ninguém mais.

As pessoas dizem
Eu escuto,
Mas não ouço.
Sou aquilo que sou
E nada mais.

As pessoas dizem
Eu digo
As pessoas olham
Eu olho
As pessoas tocam
Eu toco
As pessoas ...
E eu?

Eu sou quem sou
E ninguém mais.

27.8.07

Vitíligo (Dermatologia)


Bem, vou escrever algo bem diferente, mas tenho de contar esta história até porque pode ajudar outras pessoas.


Em meados de 2005 e após utilização de um creme facial recomendado por um Dermatologista, a minha pele sofreu uma descamação devido à errada prescrição do creme. Desde aí surgiram duas manchinhas de despigmentação, as quais foram atribuídas à descamação da pele e que não teriam solução … resignei-me com o facto apesar de não ter gostado da ideia.


No início de 2006 notei que essas manchas tinham aumentado um pouco e a partir daí foi galopante. Em pouco tempo tinha uma área considerável de pele despigmentada que já era bem visível e não dava para ignorar. Informei-me sobre a doença e obtive dois diagnósticos possíveis … poderia ser a chamada Micose de Praia ou Vitíligo. Fui falando com pessoas para tentar chegar aos melhores especialistas em Dermatologia e obtive dois nomes … ambos me deram o mesmo diagnóstico … era Vitíligo. A partir daí, passei a usar diariamente um protector de bloqueio total de raios solares e um gel regulador da despigmentação, receitados pelo segundo médico que consultei. Este especialista também me mandou fazer análises gerais e ao sistema imunitário.


Este tratamento fez parar o alastramento da doença, mas por pouco tempo. Voltei a consultar o Dermatologista que me respondeu com um ar desolado - "Se continuar a aumentar, só temos uma solução … despigmentar a pele do rosto por inteiro." - Achei aquilo arrepiante e inconcebível, por isso não me resignei e continuei à procura de uma solução. Entretanto, no local de trabalho, reparei que um colega tinha pele despigmentada, mas que estava a ficar melhor e perguntei-lhe o que era … respondeu - "É Vitíligo e estou a fazer um tratamento espanhol, pois cá não me davam solução! Obtive o contacto através de outros colegas que também tinham este problema e que já se curaram. Outros que estão ainda em tratamento, mas todos com resultados positivos." - Acendeu-se uma luz e uma grande nota de esperança :-)


Fiquei com os contactos e ponderei os custos … consulta, medicamentos, alojamento, alimentação e combustível para a viatura … não seria fácil, mas era motivo para arriscar e, em Agosto de 2006, lá pus pés a caminho … quer dizer … pus rodas a caminho :-) Pois que ir e vir são cerca de 1.300km.


Ao consultar a especialista, fui informada de que geralmente são conseguidos resultados mais rápidos no tratamento do rosto, por ser um local de maior irrigação sanguínea. Felizmente era o meu caso! Nem tudo podia ser mau :-) Esta doença aparece com especial incidência nas extremidades do corpo … rosto, mãos, pés e orgãos genitais, podendo alastrar ou mesmo aparecer noutras zonas do corpo.


Hoje, passado um ano, já só tenho um pinta de Vitíligo que já nem é visível a olho nu :-) A Dra. Virginia Sánchez-Muros Lozano consegue ajudar e é uma pessoa muito acessível. Atenção para o facto de a cura da doença não ser garantida, pois tudo depende da forma como o organismo de cada um responde aos medicamentos. As diversas fases do tratamento que é adequado para uma pessoa, pode não ser igual para as outras.


Os medicamentos vêem de Espanha e existe uma farmácia que trabalha com o consultório, que facilita o envio dos medicamentos através de correio expresso. Aconselho que os medicamentos sejam comprados antes do regresso a Portugal, podendo recorrer a qualquer farmácia. Aqui vão os contactos para quem quiser arriscar e … petiscar :-)

Dra. Virginia Sánchez-Muros Lozano
Especialista en Dermatología
Avenida de la Constitución, 25
18014 - Granada
Telef. Y Fax: +0034 958 200 618

Osorio Centro Auditivo
Farmácia, Centro Óptico, Centro Tratamiento Cosmético
Edifício Osorio - Reyes Católicos, 12
18009 Granada
Telef.: +0034 958 221 260 / 226 731
Fax: +0034 958 210 067
E.mail:
osoriotecnico@terra.es

Existe muito mais informação sobre esta doença e apresentação de tratamentos, mas eu preferi agarrar em algo que me dava resultados concretos e que vi com os meus próprios olhos.


Poderei dar mais informações caso necessites. Deixa o teu contacto de e-mail ou telefone no comentário.

13.8.07

Embarcam num delírio

Embarcam num delírio
Devasso devaneio
De brisas loucas de paixão

Corrupio de emoções
Sentidas à flor da pele
Atordoam o cérebro

Por momentos preenchem vazios
Respiram ofegantes
Embriagados de suor e odores

… nada é real …

O momento esvanece
Os corpos esfriam
Os sentimentos são inexistentes
Vazio …
Resta apenas um vazio
Que arrasa corações

Um véu de ilusões
Preenche vidas enredadas
Presas … perdidas na solidão

10.8.07

Apeteceu-me dar-vos música :-) EVANESCENCE

Gosto do teu jeito ...



Gosto do teu jeito …
reflectes no dia o brilho da noite
o encanto de mil estrelas
como pingentes flutuantes
prata luzidia
que encandeia e extasia

No teu brilhante ondular
deixo partir a tristeza
uma enguia escorregadia
que não tento recuperar

Perco-me em ti
como num sonho
de tons suaves e cintilantes
Perco-me nos teus odores
espasmos de mil sabores
que enchem os sentidos

8.8.07

Papel de Embrulho


Oferecemos prendas aos amigos, mas sabemos que os verdadeiros amigos gostam de nós de qualquer jeito … então porque damos bens materiais que às vezes nem têm significado algum?

Estranhamente alguns destes objectos assumem um espaço importante apenas porque os ligamos a um momento ou, tão somente, porque realmente gostamos do que nos é oferecido.

Não seria mais viável oferecer uns minutos da nossa vida diária aos nossos amigos? Uma mensagem, um telefonema, um e-mail … hoje é tão fácil comunicar.

Arranjei uma caixinha forrada com papel de embrulho e aí vou depositando carinhos e atenções … de vez em quando abro-a e envio um miminho para alguém sempre especial para mim e que habita um dos muitos cantinhos da minha vida!

uma Pinga ... um Mundo

Observo as pingas de água a mergulharem no riacho e por momentos esqueço as agruras do mundo. Nem tudo à nossa volta é belo e simples como esta subtileza da natureza.

Quantas vezes olhamos para o lado quando vemos um mendigo a dormir na rua? quantas vezes vemos crianças todas sujas a estenderem uma mão esperançosa por ter o retorno de algo tão insignificante para os demais seres humanos, mas tão importante para elas? Quantas vezes nos arrepiamos com as doenças e a falta de comida ao vermos seres humanos que mais parecem cadáveres com vida? Juntem tantas outras misérias que vocês bem conhecem …

Passamos o tempo demasiado preocupados com a nossa vida e não conseguimos sair dela. Criamos um circulo que nos faz rodopiar e chegar a lado algum. Mergulhamos nas nossas profundezas, mas não nos vemos. É como se não nos sentíssemos a nós próprios … esquecemo-nos de olhar por nós e esquecemo-nos de tudo o que já construímos. Falta-nos sempre algo … algo mais que a sociedade exige, mas que na realidade nem precisamos, porque já temos tanto comparado com a maioria das pessoas que deambulam por este mundo. No entanto, procuramos sempre ter mais, tentando seguir a linha de evolução “normal” para qualquer ser humano.

Quanto menos se tem e se sabe, mais feliz se é … … será isto verdade?? Não sei e nem quero saber porque perder tudo seria pior do que nunca ter tido nada.

Deixo o meu pequeno mundo mergulhar em sintonia com as pingas e observo o seu dissolver na corrente do riacho … é isso que ele é … uma pequena pinga!

7.8.07

Notas adocicadas



Num final de tarde iniciei a minha viagem para o Porto. A minha amiga Fátima iria estar à minha espera ... é sempre óptimo estar na companhia dela. Quem não gosta de estar na companhia de quem nos entende na perfeição?!

Faço esta viagem há cerca de sete anos, mas esta terna luz de final de dia revelou segredos cheios de doçura. As margens do rio suavizaram-se, as copas das árvores e os campos acalmaram, os animais pastavam com a languidêz de quem goza a vida. As pontes romanas renasceram e convidavam à sua travessia ... até os caniçais param de se agitar só para apreciar este suave irradiar de pura tranquilidade.

... sete é um número mágico ... será que foi ele que encheu esta viagem com tantas notas adocicadas?!!...