27.11.07

Paixão Carocha


Acompanhou-me desde a infância até à adolescência ... não cheguei a poder conduzi-lo, mas a paixão ficou e é eterna :-) Estes veículos são fantásticos! Máquinas robustas feitas para a guerra e para o povo.
Esquecidas as guerras, ele passou a ser o máximo da confiança e durabilidade que tanto apreciamos, mas que hoje em dia já não é política existente ... Volkswagen "O carro do Povo"! Vivam os Carochas ou Joaninhas como lhe queiram chamar :-) e até mesmo as famosas carrinhas intituladas "Pão de Forma" devido à sua forma.
Tonteiras de miúdos ... até lhe faziamos festas de aniversário :-) Gandas malukos!!!! eheheh
Que me perdoe a Volkswagem, mas a sua tentativa de devolver o Carocha à modernidade, fez dele uma "boneca de cidade". Sem dúvida, um veículo muito confortável e prático de manusear, mas com pouca bagageira e muito pouco acessível ao Povo. Aliás, a VW já deixou de ser o "Carro do Povo" há muitos anos luz ... diria que é mais uma marca de elite com dois modelos de gama média relativamente acessíveis.
A marca não conseguiu devolver o misticismo daquele carrinho redondo, construído em ferro e com ar de menino traquina sempre pronto para a brincadeira :-) A paixão mantém-se pelo velho amigo!

12.11.07

Chegou o final ...



... que na proa de uma nuvem se desloca, propagando o negrume de uma noite sem lua ... será este mesmo o prenúncio do final?? Certamente o final deste dia e certamente o início do próximo que virá e que se erguerá no horizonte com todo o seu esplendor. Brilho celestial que nos aquecerá o corpo e a alma, nos renovará energias e dará alegrias!

7.11.07

Um dia no Sobralinho

Já há muito tempo que queria fazer uma gracinha destas :-) Aqui vai um miminho para o grupo de pessoas que se juntaram para conviver e aprender um pouco mais. Obrigada e sempre bem vindos!!!



6.11.07

Quero sentir ...

... a tua face gelada, o teu ser cristalino, a tua alma translúcida divina e pura ... líquido é o teu intimo ... o frio congela e sufoca a tua fonte, onde muitos desejam saciar a sua sede ... ... ... chegou o Inverno e com ele a neve, o gelo, a precariedade de alimento.Sei que a tens aí, mas não lhe consigo chegar para terminar com esta sede que me rasga a garganta ... sinto-me a secar e definhar como as folhas das árvores que já consumiste com tua distante indiferença ... chegaste, Inverno ...



Bom, na verdade, temos Invernos envergonhados, mas também não vivemos num país em que os lagos congelam ... já não se pode dizer o mesmo das poças que encontramos pelo caminho :-) Lembro-me de quando andava na secundária ... era uma alegria pisar o gelo das poças e vê-lo estalar. Coisas de miúdos que ainda trazem um sorriso aos lábios :-) Sim sim ... eu sei que ainda estamos no Outono, mas apeteceu-me :-) Os pensamentos são assim mesmo, fluem como as águas de rio. Tudo serve de desculpa ... um sorriso, uma imagem, uma lembrança, um sentir ... e lá se soltam as palavras!