23.12.09

Festas Felizes!!!

27.9.09

20.4.09

Espelho de ti

Espelho de ti, que admirei e sobre o qual refleti
Espelho de ti ou de mim, não sei
Espelho de uma vida e muitas histórias para contar ... se pudesses falar
o teu silêncio de ferro vibrante guarda mil segredos
mil peixes rodearam os teus alicerces
mil barcos navegaram as águas que por ti passam
mil pássaros te fizerem razias nos seus voos
mil aviões te sobrevoaram
os veículos que te beijam todos os dias
as pessoas que cruzam a tua linha
todos eles têm histórias que te abraçam
no meio deste turbilhão manténs-te bela e imponente
fazes questão de marcar presença
e ninguém te é indiferente
és história
canção
segredo
e unes vidas na tua travessia
tudo se mantém
tudo em teu redor rodopia



Este poema foi escrito para uma imagem do amigo Nuno de Sousa.

9.2.09

O Poder do Amor

Sigo o caminho que julgo ser o meu

Sigo o caminho que julgo ser o meu
afino os sentidos
tento perscrutar na terra
os desígnios dos elementos
ouço vozes e tento dar-lhes sentido
sei que os seus ensinamentos são divinos
sábios conselhos e sinais a seguir
ouvir ...
ouvir com os ouvidos da alma
ouvir com os ouvidos do coração
que em tudo rivalizam com a razão
matéria ...
matéria é corpo, matéria é inumano
é perda de tempo
passar o tempo a pensar nela
no entanto ...
parece ser impossível desprender-me dela
os meus pés agarram-se ao solo
raízes de árvore secular
que não quer voar
mesmo assim sigo o caminho
por vezes hesitante
por vezes incerta
por vezes parando para ouvir a tua voz
Anjo Guardião que sempre me acompanhas

Sopra o vento

Sopra o vento
lá fora as árvores dançam
evocam cantigas de adoração
que ao céu pertencem
do meu quarto
espreito pela janela
admiro a euforia da natureza
que saboreia a leve ventania

As pessoas agarram seus casacos
como se o vento lhes arrancasse a pele
encolhem-se ...
queixam-se dele, que não pára de soprar
lamentam-se com o frio que paira no ar
de nariz enfiado no chão
nem olham para o que os rodeia
em torno de si a vida dança
abre os braços e dá as boas vindas
uma nova estação
um novo ciclo da natureza se cumpre
e assim giram as coisas vivas
que mesmo agarradas à Terra
estão mais ligadas ao Céu