20.4.09

Espelho de ti

Espelho de ti, que admirei e sobre o qual refleti
Espelho de ti ou de mim, não sei
Espelho de uma vida e muitas histórias para contar ... se pudesses falar
o teu silêncio de ferro vibrante guarda mil segredos
mil peixes rodearam os teus alicerces
mil barcos navegaram as águas que por ti passam
mil pássaros te fizerem razias nos seus voos
mil aviões te sobrevoaram
os veículos que te beijam todos os dias
as pessoas que cruzam a tua linha
todos eles têm histórias que te abraçam
no meio deste turbilhão manténs-te bela e imponente
fazes questão de marcar presença
e ninguém te é indiferente
és história
canção
segredo
e unes vidas na tua travessia
tudo se mantém
tudo em teu redor rodopia



Este poema foi escrito para uma imagem do amigo Nuno de Sousa.

1 comentário:

Helena Paixão disse...

Repito o que já disse ao Nuno, este teu poema é um espelho... de ti! Traduzindo: nele se lê, nele se reflete toda a tua sensibilidade e criatividade.

A foto... "show de bola" miúda!

Bjocas :-)